segunda-feira, 28 de novembro de 2016

O Fim da Eternidade

Texto original publicado em: Aliadas Literárias

  • Autor: Isaac Asimov
  • Ano: 2007 / Páginas: 255
  • Idioma: português 
  • Editora: Aleph
Há muitos sentidos como alguém diz que devorou um livro, um dos mais fantásticos, no entanto, é quando você abre um livro de mais ou menos 300 páginas e o lê de uma só vez, sem pausas. Devo confessar, no entanto, que isto só aconteceu duas vezes em toda minha vida. Este livro foi um desses casos.

Aliás, caso raro é algo com o qual este livro está perfeitamente acostumado, afinal é também um dos únicos livros centrados numa relação romântica que não cai na armadilha blockbuster do amor hollywoodiano ou mesmo das velhas formulas. Afinal, este é um livro cujo conflito é baseado em um casal, mas que não é um livro de amor.

O Fim da Eternidade fala sobre uma época em que os humanos dominam a técnica da viagem no tempo, de forma que um grupo reside numa espécie de atemporalidade chamada Eternidade, cujo objetivo é salvaguardar a humanidade de suas decisões estúpidas alterando os eventos de forma a evitar grandes catástrofes.

A Eternidade existe fora do Tempo, sendo dividida em diversos setores, cada um responsável por um século, estendendo-se desde o século XXVII, o inicio da Eternidade, até o infinito, no entanto, nem todos os setores possuem pessoas trabalhando neles, pois após o século 150.000 não havia mais seres humanos na Terra, dispensando a necessidade de pessoas responsáveis por estes setores, assim também como o período correspondente entre os séculos 72.000 e 150.000 eram impenetráveis, sendo portanto chamados Séculos Ocultos.

Os Eternos, como são chamados os pertencentes a essa organização, escondem seus verdadeiros objetivos da humanidade, que não seria capaz de entender os conflitos éticos nos quais eles estão inseridos: alternar a realidade pode acabar encurtando a vida de algumas pessoas, apagando a vida de outras, arruinando algumas.

Andrew Harlan é um Técnico, isto é, um Eterno responsável por calcular os pontos exatos de Mudanças de Realidade que causariam os efeitos máximos, com o mínimo de modificação, que vê-se apaixonado por uma Não-Eterna, uma Tempista, chamada Noÿs Lambent durante uma observação no século dela, contrariando todos os princípios da Eternidade, afinal estão prestes a fazer uma modificação dentro do século dela que pode fazê-la deixar de existir.

O livro é bastante complexo, lidando com questões acerca de ética, filosofia, amor, questões extremamente densas que o autor passa de uma forma tão fluída que desejamos a todo custo tentar adivinhar o que acontecerá, o desfecho é, no entanto, surpreendente.

Um dos melhores livros sobre viagem no tempo, sem duvida, nos faz refletir sobre a validade de modificar o tempo de forma a evitar catástrofes, o quanto disso é realmente ético e também o que isto levado às ultimas conseqüências pode causar dentro da humanidade. Também é um livro que retrata as escolhas que fazemos por amor, e a própria escolha que é o amor, sem, no entanto, cair em clichês, nos fazendo também refletir sobre a própria natureza do apaixonar-se.  É um livro fantástico, não só para os fãs do gênero, sendo sem sombra de dúvida um dos melhores livros, senão o melhor, de Isaac Asimov, nos fazendo perder o fôlego e queimar alguns neurônios do inicio ao fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário